Softfocus

3º Meetup Softfocus — Gestão sem gerente, é possível?

E aí, o que você acha? No mês de setembro realizamos o nosso 3º Meetup Online em mais um momento de interação com a nossa comunidade. O assunto da vez,…

Cultura

Compartilhar

E aí, o que você acha?

Image for post

No mês de setembro realizamos o nosso 3º Meetup Online em mais um momento de interação com a nossa comunidade. O assunto da vez, “Gestão sem gerente, é possível?” foi gerado pelos nossos grandes convidados Eduardo Bastian (Líder de Inovação na IDS Software) e Dyego Cantu (Agile Coach aqui na Softfocus).

No contexto atual dos nossos convidados, percebemos que todo processo vem se moldando ao longo do tempo, conforme aprendizados e experiências adquiridos. O Eduardo hoje, lidera um time de inovação na empresa, atuando como um time de suporte aos demais, onde essencialmente não cria um produto final, mas sim bibliotecas, frameworks, propostas de arquiteturas e design para os demais times. Com base em experiências de liderança anteriores, Eduardo chegou a conclusão de que não fazia sentido ele ser o centro das decisões apenas, sendo assim, hoje essas responsabilidades são compartilhadas com os demais membros do seu time e cada qual é acionado conforme sua especialidade e atuação. Dyego nos conta que em seu contexto, tem observado evoluções nos processos da Softfocus, trabalhando mais em uma gestão horizontal e caminhando para uma autogestão, com papéis e responsabilidades definidos para cada membro do time.

Mas com essa visão, como tem ficado o papel do gerente?

Eduardo acredita que não funciona uma única pessoa tomando decisões por um time todo, mas sim que o envolvimento de todos é muito importante. Após ele entender e colocar isso em prática, obteve resultados positivos, como cita: “Foi possível ganhar um pouco mais de fôlego” — por ter mais tempo para focar. Além disso, constantemente está passando por novas fases, compartilhando novas responsabilidades com o time sem ser algo centralizado. Para ele, esse formato é muito benéfico, pois são mais pessoas trazendo ideias positivas e olhando para as coisas, enxergando oportunidades ou apontando melhorias. O desejo do Eduardo, é que quando perguntar “o que acontece com o gerente?” possa responder “todos são gerentes”, ou seja, que esse seja um papel a ser desempenhado e compartilhado por várias pessoas.

Dyego definiu que a gestão é algo importante, mas tão importante que não pode ficar apenas centralizado em uma pessoa. Ter processos onde as pessoas consigam se organizar em torno do trabalho, ao invés de ter alguém responsável por gerenciá-las. Quando passamos a utilizar essa responsabilidade compartilhada, eliminamos observações de pessoas como “Ah, mas foi o gerente ali que disse que tinha que ser assim, que pediu para fazer”, porque agora, a responsabilidade é de cada pessoa em seu papel.

Uma das coisas mais solicitadas dentro das empresas atualmente, é sobre empreender internamente. No entanto, como alguém vai fazer isso se estiver limitado? Deve-se também ter claro até onde vai a responsabilidade de cada membro, para que assim e dentro dela, a pessoa atue com autonomia.

Quais são os benefícios e principalmente as dificuldades enfrentadas neste processo?

Durante este processo, é notável ganhos muito positivos, tais como: Motivação, aceleração no processo de decisão (por diminuir os níveis de hierarquia), adaptação e processos muito mais definidos.

Porém, é claro que o caminho não é fácil e irá se deparar com grandes desafios, muitos deles relacionados com a mudança da cultura organizacional e principalmente, em saber respeitar o tempo dessa mudança, afinal, mudanças significativas não acontecem do dia para a noite. Outras dificuldades observadas são em relação a aceitação da organização, afinal agora para quem reclamo dos problemas? Até onde devo tomar as decisões sozinho e quando devo acionar reforços? Como tomar decisões mais complexas com todos do time? É importante destacar que nem todo mundo se adapta a esse formato, nem todos querem de fato assumir essas responsabilidades e está tudo bem!

Por fim, uma coisa nos fica muito clara: Para engajar as pessoas, elas precisam se sentir parte! E aí, como está o engajamento na sua empresa? Como a organização gera valor ao cliente? Como você está contribuindo para esse valor?

E pra fechar o nosso meetup de forma supimpa, tivemos a distribuição de descontos dos nossos amigos do aiqfome, para a galera curtir bem a semana, Haha.

Fica de olho em nossas redes sociais, que estaremos sempre divulgando lá os próximos eventos. Será um prazer ter você conosco. 😀

Se cuida! ❤