Softfocus

Entenda quem tem direito ao capital de giro e como conseguí-lo

Adquirir capital de giro é uma medida utilizada por muitas empresas no mundo e consiste na aquisição de valores correspondentes aos custos operacionais necessários para o funcionamento do negócio. Na…

BNDES

Compartilhar
capital de giro

Adquirir capital de giro é uma medida utilizada por muitas empresas no mundo e consiste na aquisição de valores correspondentes aos custos operacionais necessários para o funcionamento do negócio. Na prática, é uma modalidade de empréstimo parcelado cuja liberação é rápida, pronta para atender ao negócio com urgência.

Por exemplo, ao inaugurar um restaurante, é fundamental que o estabelecimento tenha à disposição uma série de recursos, como ingredientes, energia elétrica, utensílios e funcionários, bem como licenças e impostos pagos.

Nesse caso, a empresa pode não ter dinheiro o suficiente para assumir tais despesas com devida responsabilidade, o que a leva a providenciar o capital de giro para financiar o essencial. A solução é válida, também, para empresas que já atuantes que porventura tenham dívidas pendentes, visto que o capital ajuda a equacionar e, ao mesmo tempo, dar continuidade às operações.

Contudo, o capital de giro também pode ser aplicado a empresas que simplesmente desejam organizar o fluxo de caixa ou “antecipar” valores para receber a prazo — isto é, recebíveis que entrarão em caixa dentro de semanas ou meses (tempo que nem todas as empresas têm para manter as tarefas rotineiras a todo vapor).

Você já pensou no que a sua empresa pode fazer ao receber capital de giro? Aliás, a sua empresa tem direito a recebê-lo? Se sim, como consegui-lo? Aqui, neste artigo, falaremos sobre tudo isso e muito mais. Confira!

Quem tem direito a receber capital de giro?

Embora muitos empreendedores carreguem a velha crença de que o capital de giro compete a grandes corporações, a alternativa está disponível para toda e qualquer empresa, seja ela startup ou MPME (Micro, Pequenas e Médias Empresas). Em suma, na maioria dos casos, o requisito básico é o CNPJ regularizado.

Muitas instituições financeiras, inclusive, oferecem serviços de crédito de capital de giro para pessoas jurídicas negativadas, o que é providencial para a recuperação financeira da empresa — desde que haja boa gestão da quantia recebida, conforme explicaremos mais adiante.

O mais importante é saber, por meio de planejamento, por quais razões a empresa precisa de capital de giro, qual o valor suficiente para tal (incluindo margem de erro) e como ela conseguirá pagar pelo empréstimo com seus próprios recursos. Vejamos, a seguir, como fazer o cálculo.

Qual o valor que a sua empresa precisa para “girar”?

Antes de chegar a um valor de capital de giro preciso, o gestor tem de analisar tudo que esteja envolvido com os objetivos do empréstimo. Por exemplo, a empresa utilizará mais recursos para custos operacionais (passivos circulantes) ou para investimentos (ativos circulantes)?

Os passivos circulantes nada mais são que as obrigações que a empresa tem ao longo do ano, como contas a vencer, salários, impostos e dívidas bancárias. Sendo assim, eles fornecem recursos ao negócio — funcionários dão andamento aos processos, provedores de serviços possibilitam a realização dos processos e por aí vai —, então a tendência é que menos capital seja direcionado.

Já os ativos circulantes dizem respeito a dinheiro em caixa, aplicações de curto prazo, estoque, matéria-prima, contas a receber e outros investimentos. Quanto maiores eles forem, mais recursos de capital de giro serão necessários.

Para calcular o valor de capital de giro ideal para o seu negócio, basta subtrair o ativo circulante pelo passivo circulante. Apesar da simplicidade da fórmula, é importante delegar essa tarefa a um contador.

Como conseguir o seu capital de giro?

Você sabia que existem diversas maneiras de se obter capital de giro? Sim, a sua empresa não precisa, necessariamente, recorrer a uma instituição financeira — embora seja uma solução muito conveniente para quem necessita do dinheiro com urgência. Elencamos as alternativas abaixo:

Equalize as dívidas

Manter o negócio em operação enquanto busca equacionar as dívidas é um grande desafio até para quem consegue empréstimo. A solução para isso é renegociar os débitos de curto e médio prazo — isto é, ampliar as parcelas de modo a suavizar as prestações. A ideia é fazer com que a redução de débitos mensais redirecione uma parcela maior do orçamento a despesas que agreguem valor e investimentos.

Faça uma boa gestão de capital

A gestão do capital de giro é de extrema importância para que a medida tenha efeitos positivos. Afinal, de nada adianta obter a concessão do empréstimo se a empresa tiver de recorrer a créditos adicionais, consequentemente gerando novas tarifas e juros — que podem ser consideravelmente altas.

Para evitar falhas de gestão, é recomendado renegociar o parcelamento das dívidas — conforme explicamos —, estabelecer políticas de redução de custos, controlar o fluxo de caixa rigorosamente, realizar o monitoramento do capital de giro com frequência e aumentar a participação da contabilidade, entre outras medidas mais pragmáticas.

Ao ser eficiente na gestão de capital de giro, os recursos captados garantirão maior sustentabilidade financeira e, em razão disso, melhorarão o seu desempenho a partir de novos investimentos.

Procure por investidores e parceiros

Uma opção bastante válida para conseguir capital de giro é encontrar novos investidores e/ou parceiros de negócio. Logo, se você tem ótimas ideias que não saíram do papel devido à falta de capital, é sugestível apresentá-la a potenciais investidores que acreditem nelas. Mas como convencê-los de que vale a pena aplicar o dinheiro na empresa?

Obviamente, o apoiador (ou parceiro) quer saber todos os detalhes de como o processo funciona. É crucial, portanto, elaborar um plano de negócio rico em detalhes para ser apresentado. Esse documento trará a segurança que o investidor precisa em sua tomada de decisão.

Solicite crédito a instituições financeiras

Recorrer a instituições financeiras é uma solução muito conveniente para quem necessita do dinheiro com urgência. Os bancos oferecem o serviço com propósito de prestar suporte às atividades econômicas das empresas e, por essas e outras razões, garantem a rápida liberação do capital e condições de pagamento facilitadas.

Para conseguir capital de giro com as melhores condições do mercado, é imprescindível fazer pesquisas e estudos acerca das taxas de juros cobradas pelos bancos ou, também, buscar concessão de crédito pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Vale frisar que a simulação de crédito é extremamente importante para quem recorre a empréstimos. Quer saber mais informações? Confira este artigo em que explicamos tudo a respeito!